23 de Enero de 2018
Portal Educativo de las Américas
  Idioma:
 Imprima esta Página  Envie esta Página por Correo  Califique esta Página  Agregar a mis Contenidos  Página Principal 
¿Nuevo Usuario? - ¿Olvidó su Clave? - Usuario Registrado:     

Búsqueda



Colección:
La Educación
Número: (116) III
Año: 1993

RESUMO

Nas duas últimas décadas, vem-se verificando um alto grau de instabilidade nos países do Caribe. Alguns destes tiveram de adotar programas de ajustamento macroeconômico sob a supervisão do Fundo Monetário Internacional (FMI). Os países de língua inglesa do Caribe — Barbados, Dominica, Grenada, Guiana, Jamaica e Trinidad e Tobago — viram-se forçados a buscar assistência do FMI-Banco Mundial para ajudá-los a superar suas dificuldades econômicas. As medidas de política macroeconômica incluíram uma redução dos gastos públicos, desvalorização da moeda, aumento ou introdução de taxas de uso em muitos serviços sociais, contenção salarial e privatização. Essas políticas macroeconômicas tiveram efeito negativo no setor do ensino, onde se verificou escassez de pessoal e de material, desmotivação dos professores em virtude do declínio do seu padrão de vida e incremento da carga de trabalho, redução da formação de professores, maior absentismo, deterioração das instalações físicas, diminuição da disponibilidade de material e equipamento e aumento dos coeficientes professores/alunos. Como a educação tem um papel vital no desenvolvimento de recursos humanos nos países do Caribe, o trabalho oferece várias recomendações para ajudar a compensar os efeitos adversos do ajustamento estrutural sobre o sistema educacional.